Rebatendo a Homofobia

Não é de hoje que homossexuais são perseguidos, e é fácil encontrar notícias referentes a homofobia, se brincar quase todo dia leio algo sobre. Até mesmo em família escuto alguns absurdos, que quase sempre quando estou disposta a receber cara feia, rebato. Cansada de ouvir/ler tanta rejeição a isso, que na verdade é algo tão simples, tão normal, que resolvi fazer esse post esclarecendo algumas coisas. Não, isso não vai mudar o mundo, não vai fazer todos começarem a “aceitar” gays, mas acredito que possa ajudar na reflexão de algumas pessoas com pensamentos homofóbicos, ou a construir argumentos, caso precisem em alguma situação chata dessa.

Ser gay é ser imoral, não sou obrigado a aceitar isso, eles ficam nas ruas se agarrando, fazendo coisas obscenas, crianças podem ver.

Se for seguir por esse raciocínio, todo mundo é imoral, porque se você prestar bem atenção, não são só os gays que fazem isso em público não! Se fosse um casal hétero não teria problema? Isso só prova que sendo gay ou hétero, qualquer um pode exagerar, cometer excessos. E a maioria não pode ser punida porque você viu um ou dois se agarrando no meio da rua. Crianças vêem carícias exacerbadas quase sempre em todo canto, na tevê, na internet, na rua, não importa a opção sexual de quem está fazendo. Tudo tem que ser conversado, explicado à ela que isso acontece com qualquer um, que as vezes as pessoas exageram, e NÃO, sua criança não vai “virar” gay depois de ver ou saber disso. O que nos leva para o segundo argumento:

Crianças que convivem com gays podem virar gays também.

Já existem artigos desmistificando esse assunto. Segundo Paige Averett, especialista em desenvolvimento humano da East Carolina University, nos E.U.A., e autora de uma pesquisa sobre sexualidade das crianças criadas em ambientes gays, filhos criados por pais homossexuais não têm maior probabilidade de serem gays comparados aos filhos criados por pais heterossexuais, independendo de serem biológicos ou adotivos. O que acontece é que a criança criada nesse meio se torna mais tolerante a diferentes tipos de família, já que para ela, é perfeitamente normal ter dois pais, ou duas mães. E isso é ótimo, não é?

Isso responde também nos casos de ter outros parentes gays, ou até mesmo amigos, são pessoas como quaisquer outras, e não é a opção sexual de ninguém que vai influenciar o outro.

Somos obrigados a defender essas pessoas? Pra quê lei para defendê-los?

Ninguém é obrigado a nada. Mas no mínimo, use a inteligência e o bom senso, sabendo que todos somos iguais, que temos os mesmo direitos. Se há tantas passeatas, lei, organizações para defesa e direitos deles, é porque tem violência, tem preconceito. Mesmo direito que você tem como consumidor ao sentir-se injustiçado, ou como mulher, criança, idoso, de procurar órgãos responsáveis, eles também têm, pois são seres humanos, assim como nós.

Ser gay é ANTI-NATURAL.

Em todas as civilizações, sempre existiu a homossexualidade, só pra começar. Em 2010 Dr. Drauzio Varella escreveu um artigo em prol da comunidade LGBT, dizendo: “Se partirmos de princípio tão frágil (Deus fez os órgãos sexuais para a procriação), como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer, a língua para articular palavras?”

De acordo com ele, os argumentos de que a homossexualidade é uma perversão humana cai por terra quando ela também é encontrada entre outros animais. “Comportamento homossexual foi documentado em fêmeas e machos de ao menos 71 espécies de mamíferos, incluindo ratos, camundongos, coelhos, gatos, cabritos, antílopes, macacos e até leões, os reis da selva.”

Ainda, para quem acha que ser homossexual é uma questão de escolha: “Quer dizer, num belo dia, pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas, como sou “sem-vergonha”, prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo. Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.”

Sexualidade não é escolha. É algo que se sente, que se deseja, não é algo para envergonhar-se. É íntimo, ninguém pode interferir em sua essência, cada um pode ser o que quiser, ter sua liberdade, independendo do que você sinta, ou pelo mesmo sexo, ou pelo oposto.

Espero que tenham gostado, qualquer sugestão, crítica construtiva, dúvidas, é só comentar abaixo!

*A APE  luta em defesa de todas as liberdades.

    • Maria Gabriela dos Santos

      É verdade, muitos religiosos ainda insistem em argumentar usando a bíblia. Em breve teremos um post falando sobre isso também, nesse eu quis abordar mais o geral, o que mais se houve por aí. Mas é só ficar atento às novas postagens! Muito obrigada pelo elogio!
      Abraço!

  1. jacksonjunior

    Ótimo texto, Gabi, mas deixa eu insistir numa coisinha: não se diz/escreve “opção sexual”, mesmo porque ninguém “opta” por ser gay, lésbica, travesti. As pessoas são assim. É uma condição. Não se pode escolher se quer ou não ser assim. Simplesmente, se É assim.
    Beijão!

    • Maria Gabriela dos Santos

      Eita Jacks, é verdade! Eu coloquei, ficou meio contraditório com o que disse, né? Mas é que acaba lendo tanto com esse termo, que acabou colando na minha cabeça. Vou consertar isso!
      Abraço!

  2. Ana Moraes

    Esse preconceito ignorante vem da religiao, veio passado de geraçao em geraçao, nem raciocinam soh vomitam as coisas q os padres e pastores falam. Gays nao sao outra especie, sao humanos iguais a vc, trabalham, tem sentimentos. Religiao sempre estragando as pessoas, uma droga.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s